ansiedade - sinal amarelo

O lado bom da ansiedade #3 – O sinal amarelo ou a compreensão dos limites

Ansiedade é uma merda, sim. Mas todas as coisas ruins têm seu lado bom, e com a ansiedade, isso não é diferente: ela tem vários lados bons. Um deles, a compreensão dos limites.

A ansiedade, em essência, é uma reação do corpo frente a um perigo. A gente fica com crise de ansiedade quando está sendo assaltado, quando recebe uma notícia horrível ou quando corre algum risco de morte. Ou seja, existem partes do nosso cérebro que ativam uma conexão que te diz: te liga aí, meu! e que te prepara para o pior.

O problema da crise de ansiedade é que às vezes essa conexão é ativada enquanto estamos sentados, na maior calma do mundo, assistindo televisão. Daí a conexão não é com algo presente, e sim, na grande maioria das vezes, com algo futuro.

Se no início, nas primeiras crises, a gente recebe isso com temor total, com uma surpresa incrível e um medo da morte, nas crises seguintes a gente começa a entender que isso não é tão imediato. Ou seja, o led ou o sinal amarelo está ligado, mas o problema não está acontecendo naquele momento, sentado em frenteà TV. Não é a programação que está te laceando, e sim, os receios em relação ao futuro.

Aí que tá.

Olhando pelo lado bom, a ansiedade é um sinal amarelo e te ajuda a compreender os teus limites. A partir daí, cabe a ti saber se vale a pena comprar a briga ou reduzir a carga do voo (eu adoro essa analogia, faz muito sentido  para as minhas crises de ansiedade). Ou seja, nosso inconsciente, praticamente, avalia se o fardo que estamos carregando – ou o fardo em que nos comprometemos a carregar – é grande demais ou não.

Esse é o sinal amarelo. E, olhando pelo lado bom, é a compreensão dos nossos limites.

Eu às vezes (raras) faço como o Zeca Pagodinho, deixo a vida me levar. Porém, a ansiedade sempre me dá um toquezinho. Ela não erra nunca. E isso me ajuda a compreender o quanto de carga eu posso carregar ou me comprometer em carregar.

Quando compreendemos nossos limites, graças à ansiedade, temos a capacidade de decidir se queremos superá-los ou adequarmos ao nosso dia-a-dia. Daí fica a nosso critério, mas a ansiedade está ali, alertando quando necessário.

Tem gente que não tem esse alerta e estas pessoas penam mais. Isso é fato.

Sabe aquele amigo teu que está carregando a vida numa amargura, sem reagir, prostrado, sobrevivendo a cada dia, acumulando tarefas e sendo pau-mandado de alguém? Isso não é incomum, e a reação mais provável é: ou estourar, ou entrar em depressão.

Ou seja, o lado bom é que, com a ansiedade, a gente consegue entender quando há um sinal amarelo. E isso nos avisa e nos permite agir, geralmente, com antecedência.

Então sim, a ansiedade tem lados bons. E um desses lados, é acionar o sinal amarelo.

E antecipar é fundamental sempre. Como diria o Maquiavel, “antes de qualquer coisa, arme-se”.